A Universidade Católica Portuguesa adota a nova interface do EBSCO Discovery Service

Postado 18-10-2021 dentro Libraries

A Universidade Católica Portuguesa, reconhecida pelo 3.º ano consecutivo, pela Times Higher Education como a melhor Universidade em Portugal, é das primeiras instituições fora dos Estados Unidos, e a primeira no Sul da Europa, em transitar para a nova interface do EDS.

O novo EBSCO Discovery Service, incorporando uma tecnologia de pesquisa ainda mais otimizada e inigualável, reforça o seu foco no acesso e na acessibilidade; neste contexto, a área personalizada de utilizador, a nova experiência móvel e a pesquisa inter-relacional do Mapa de Conceitos, são algumas das novas e destacadas funcionalidades.

Entrevistámos o Dr. Bruno Guimarães Marçal para saber mais sobre a transição para a nova interface do EDS na Universidade Católica Portuguesa bem como o seu impacto nos utilizadores.

1. A Rede de Bibliotecas da Universidade Católica Portuguesa evoluiu bastante nos últimos tempos. Quais foram as principais motivações que fizeram com que a instituição percebesse que já estava pronta para tomar esse passo, e em que medida, a nova interface do EDS, solicitada por si, se insere nesta linha de evolução e modernização?

A evolução que refere na Rede de Bibliotecas da Universidade Católica Portuguesa (UCP) é complexa e não pode ser corretamente percecionada considerando apenas uma ou duas dimensões. Em limite, implica imaginar o futuro, mobilizar uma vasta equipa dispersa geograficamente (nos campi de Lisboa, Porto, Braga e Viseu), definir novos processos de trabalho, implementar plataformas digitais, ou remodelar as já existentes, ao mesmo tempo que são respeitadas as especificidades locais, as particularidades de cada área de conhecimento, assim como os princípios que definem e caracterizam a própria instituição, e que a singularizam a nível nacional e internacional. Os utilizadores das Bibliotecas da UCP estão no centro da nossa atuação enquanto profissionais de informação. O seu nível de exigência, independentemente de um enquadramento mais ligado ao ensino ou à investigação, obriga-nos a encontrar as melhores ferramentas e estratégias para responder às suas necessidades e aos desafios com os quais somos confrontados numa base diária. A nova interface do EDS encaixa perfeitamente, de forma muito natural, nesta linha de ação.

2. A pandemia fez com que a velocidade da inovação ocorresse de uma maneira nunca vista. Levando em consideração as novas práticas e anseios da nova geração, o Dr. Bruno acredita que o novo EDS UI pode contribuir para um ecossistema de aprendizagem mais dinâmico, interativo e efetivo? O que mais o surpreendeu nesta nova interface?

Na realidade, mais do que surpreender, a nova interface do EDS corresponde às expetativas e necessidades dos utilizadores dos nossos dias e dos profissionais de informação responsáveis por lhes prestar o apoio necessário na utilização e gestão de recursos de informação. Oferecer uma ferramenta mais amigável, flexível e ajustada a qualquer dispositivo, sem prescindir de todo o potencial que sempre caracterizou o serviço de descoberta da EBSCO, constitui um passo importante na evolução desta ferramenta. Tornando-a mais simples e intuitiva, contribui igualmente para um maior nível de autonomia por parte dos utilizadores os quais, de forma orgânica, são orientados para a construção de pesquisas mais assertivas, independentemente do seu nível de complexidade.

3. A Universidade Católica Portuguesa é a primeira instituição não estatal a oferecer uma licenciatura em Medicina em Portugal. Será, pois, um novo perfil de utilizadores, onde o conteúdo e o acesso assumem um papel diferenciado. Que papel assumirá o EDS junto destes novos utilizadores?

A nova interface do EDS afigurou-se-nos como uma mais valia transversal a todos os membros da nossa comunidade académica, a qual abarca áreas de conhecimento muito díspares, desde a Teologia à Biotecnologia, da Gestão ao Direito. A dimensão universal desta ferramenta, afirmando-se como um elemento facilitador na pesquisa e recuperação de recursos de qualidade, fundamentalmente em suporte digital, apesar de vir a permitir uma estreita articulação com os tradicionais recursos em papel, posiciona-a inequivocamente como uma primeira escolha para a generalidade dos utilizadores, tanto para pesquisas breves como para revisões de literatura mais complexas. Os alunos da Faculdade de Medicina não são exceção e era nosso objetivo proporcionar-lhes esta ferramenta desde o primeiro dia.

4. Qual é, na visão da Universidade, e no novo EDS, a importância das novas funcionalidades tais como o Mapa de Conceitos, para uma pesquisa visual mais precisa e relevante, e o Publication Finder?

O nível de interação entre os profissionais de informação e os utilizadores é cada vez mais elevado, posicionando as Bibliotecas como parceiros estratégicos nos processos relacionados com o ensino e com a investigação. Conhecemos os utilizadores, conhecemos as suas necessidades, sabemos que interagem com a vastidão de recursos disponíveis de forma muito diferente em função das suas características e motivações. Disponibilizar uma ferramenta de consulta e pesquisa com um impacto visual tão forte como o oferecido pelo Mapa de Conceitos pode ser determinante para utilizadores com um perfil específico, motivando-os a articular tópicos que de outra forma não seria possível. A nova versão do Serviço de Descoberta da EBSCO dá claramente um passo em frente ao diversificar os modelos de interação entre os utilizadores e os conteúdos que se encontram disponíveis em quantidade e qualidade sem precedentes.

5. Como planeiam incorporar o novo serviço de descoberta na estratégia e evolução da experiência de cada utilizador com a Rede de Bibliotecas da UCP? Existe um plano de comunicação para divulgar o novo EDS entre os utilizadores?

O novo serviço de descoberta da EBSCO está amplamente difundido em todas as plataformas que se encontram sob a gestão das Bibliotecas da UCP. O próprio Catálogo Bibliográfico Coletivo, tirando partido das ferramentas disponibilizadas pela EBSCO, permite realizar pesquisas no EDS a partir do seu OPAC. Neste último caso, apesar de ainda não ser possível explorar a nova interface do EDS, funciona como um estímulo para a utilização deste grande agregador de conteúdos, tanto por parte de novos utilizadores como dos mais experientes. Contudo, a nova interface do EBSCO Discovery Service é amplamente difundida na maioria das ações de formação realizadas pelas Bibliotecas da UCP e utilizada em todos os serviços de referência e pesquisa que têm lugar diariamente tanto em regime presencial como online.

Deseja conhecer o redesenho da nova interface do EDS, e a potencial experiência otimizada de descoberta pelo utilizador sobre como aceder, pesquisar e escolher os recursos da Biblioteca desde qualquer dispositivo, desktop ou móvel?

Contate-nos

Share this: