Nós usamos cookies para oferecer uma melhor experiência em nossos sites. Para saber mais sobre como usamos cookies, leia nossa política de privacidade.

Acelerando a Adoção da Pesquisa Clínica à Prática Médica

Postado 16-07-2018 dentro Healthcare

Mais de um milhão de artigos são indexados anualmente no PubMed. Como os médicos podem encontrar resultados de pesquisa clínica e adotá-los rapidamente à prática médica?

Novos testes diagnósticos e terapias melhor direcionadas estão surgindo devido às descobertas inovadoras na ciência e na medicina. Entretanto, leva tempo para que essas novas descobertas sejam adotadas na prática.

Vejamos o Zika vírus como um exemplo. Antes do surto no Brasil em 2015, uma pesquisa no PubMed resultou em menos de 110 artigos de pesquisa sobre o Zika vírus. O surto precipitou uma rápida pesquisa de campo, resultando em mais de 3.000 artigos indexados no PubMed. Em janeiro de 2016, os Centros de Controle de Doenças tinham dados de pesquisa clínica suficientes para fazer recomendações claras. As crianças nascidas de mães expostas ao Zika vírus deveriam receber um exame físico abrangente, ultrassom de crânio e exames laboratoriais. No entanto, em abril de 2017, apenas 25% das crianças haviam realizado o ultrassom de crânio e 65% tinham testes laboratoriais para o Zika vírus.

Vamos analisar o que os clínicos precisam fazer para acelerar a adoção dos resultados de pesquisa à prática médica.

Etapa 1: Identifique a informação mais útil e relevante e destaque-a do ruído de fundo.

Etapa 2: Avalie criticamente novas informações, entenda os pontos fortes e fracos dos estudos e identifique a utilidade dos achados.

Etapa 3: Sintetize informações de várias fontes, entenda novos resultados à luz de estudos publicados anteriormente e integre o conhecimento recém-adquirido ao contexto das necessidades clínicas dos pacientes.

“Os cientistas contribuem para a compreensão da biologia básica e do mecanismo de doenças subjacentes, enquanto os clínicos fornecem informações sobre os sintomas da doença e como aplicar as descobertas científicas ao cuidado do paciente.”

Essas etapas tomam um tempo considerável dos médicos, tempo que eles simplesmente não têm na sua prática diária e esta é uma das razões pelas quais as ferramentas para o cuidado à beira do leito se tornaram tão populares. Isso faz sentido, mas com uma advertência: é importante que esses tipos de ferramentas incluam cientistas no processo de avaliação crítica. Os cientistas contribuem para a compreensão da biologia básica e do mecanismo de doenças subjacentes, enquanto os clínicos fornecem informações sobre os sintomas da doença e como aplicar as descobertas científicas ao cuidado do paciente.

Assista ao vídeo Embolia Pulmonar para saber como as evidências científicas disponíveis na fonte de busca clínica Dynamed Plus® ajudaram na tomada de decisão sobre o melhor cuidado a ser prestado ao paciente.

Assista ao vídeo

Share this: